[Pernambuco] Registros de Candidaturas

Após o período de convenções partidárias, os partidos políticos e seus afiliados tiveram até o dia 15 de agosto para concluir os registros de candidaturas aos Governos Estaduais e suas respectivas representações no Legislativo Federal. Em Pernambuco, há 11 candidatos registrados para a disputa local e, dentre eles, quatro se destacam em termos competitivos.

O cenário eleitoral no estado não sofreu grandes alterações desde o período pré-convenções eleitorais, quando estavam previstos os mesmos 11 nomes para a disputa local. Embora a totalidade dos pré-candidatos tenha efetivado sua candidatura junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), apenas quatro deles têm obtido resultados competitivos nas últimas pesquisas eleitorais: Marília Arraes (Solidariedade), Raquel Lyra (PSDB), Anderson Ferreira (PL) e Miguel Coelho (União).

Marília Arraes (Solidariedade)

Vice: Sebastião Oliveira (Avante)

Coligação: “Pernambuco na Veia” – Federação

Solidariedade/PSD/Avante/Agir/PMN/PROS

Apoio ao Senado: André de Paula (PSD)

Apoio à Presidência: Lula (PT)

Plano de Governo

Raquel Lyra (PSDB)

Vice: Priscila Krause

Coligação: Federação PSDB/Cidadania

Apoio ao Senado: Guilherme Coelho (PSDB)

Apoio à Presidência: Sem preferência

Plano de Governo

Anderson Ferreira (PL)

Vice: Izabel Urquiza

Coligação: Sem coligação

Apoio ao Senado: Gilson Machado

Apoio à Presidência: Bolsonaro (PL)

Plano de Governo

Miguel Coelho (União)

Vice: Alessandra Vieira

Coligação: “Pernambuco com Força de Novo” – Federação PODE/PSC/União/Patriota

Plano de Governo

De acordo com o inquérito mais recente, divulgado em 12 de agosto, Arraes permanece na liderança da disputa com 31,5% das intenções de voto em análise estimulada. Destaca-se que a candidata apresenta margem de 17,2% de vantagem em relação a Lyra, sua principal concorrente, que conta com 14,3% das intenções de voto, conforme descrito a seguir:

Conforme disposto na pesquisa, Lyra enfrenta não apenas a díspar liderança de Arraes na disputa, mas também as candidaturas de Ferreira e de Coelho, que se equiparam à sua em termos de apoio popular, visto que Ferreira alcançou 13,6% e Coelho 12,2% de intenções de voto.

Em termos políticos, Danilo Cabral (PSB) figura como um dos nomes mais proeminentes da disputa, por ser o candidato apontado pelo partido do atual governador, Paulo Câmara, para manter o poder após 16 anos de liderança no estado. Entretanto, o cenário de alta rejeição à gestão atual, que também está expresso nas pesquisas, justifica o baixo desempenho do candidato (7,5%) e torna pouco provável o seu avanço para um eventual segundo turno. Diante disso, o partido deve apostar nas campanhas eleitorais para buscar reverter a opinião pública, principalmente no que tange os eleitores indecisos, a fim de resgatar votos e fortalecer sua posição na disputa.

Planos de Governo

Marília Arraes: A ex-vereadora de Recife (PE) e deputada federal encontrou apoio à sua candidatura no Solidariedade, partido que preside atualmente. Apesar do rompimento de laços com o PT e o PSB, apoia a candidatura de Lula à Presidência da República. Já para o Senado, apoia a candidatura de André de Paula (PSD). Em seu plano de governo, reforça sua ligação familiar com o ex-governador Miguel Arraes e destaca desafios correntes relativos à alta do desemprego, ao baixo investimento e à infraestrutura precária da saúde, educação e segurança no estado. Nesse sentido, aposta em iniciativas de desburocratização de investimentos, fomento à cultura popular, gestão de recursos hídricos, com ênfase para a retomada de obras em barragens, adutoras e poços, além da destinação de pelo menos 1% da receita corrente líquida do estado e municípios para a construção de habitações populares. Na saúde, propõe a descentralização dos atendimentos clínicos e a expansão dos serviços de atenção primária, emergencial e virtual no interior do estado. Ademais, aponta inovações em saúde da mulher, combate ao crime organizado e infraestrutura viária como pilares adjacentes do plano.

Raquel Lyra: A ex-prefeita de Caruaru e segunda colocada na disputa declara apoio à candidatura do ex-deputado federal Guilherme Coelho (PSDB) ao Senado. Em seu plano de governo, apresenta propostas voltadas principalmente ao reforço de serviços básicos relacionados à educação infantil, à atenção primária à saúde, inclusive saúde bucal e informatização da saúde, a retomada de obras de infraestrutura. Ademais, encontram-se entre os eixos de seu plano políticas para mulheres, combate à violência, redução da extrema pobreza e, no campo da sustentabilidade, ações de reforço do saneamento básico, da gestão de resíduos sólidos, além da construção de barragens e da regularização fundiária.

Anderson Ferreira: O ex-prefeito de Jaboatão dos Guararapes e deputado federal é apoiado pelo presidente Bolsonaro e apoia a candidatura de Gilson Machado ao Senado. Seu plano de governo tem foco na retomada de obras inacabadas, na geração de empregos, em políticas sociais, na economia circular, com ênfase para o tratamento de resíduos sólidos, e ampliação da interlocução com os municípios. No campo da sustentabilidade, Ferreira elenca inciativas para ampliar a produção de baixo carbono e a proteção dos animais entre as metas prioritárias. De acordo com o plano, as principais propostas gerais para a gestão são relativas à ampliação da tarifa social da água, o congelamento do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e a extinção do Fundo Estadual de Equilíbrio Fiscal (FEEF).

Miguel Coelho: O ex-deputado estadual e prefeito de Petrolina (PE) construiu seu plano de governo a partir de quatro eixos: inclusão e sustentabilidade; prestação de serviços públicos; infraestrutura; e fomento de negócios. Nesse sentido, defende a ampliação do investimento em parcerias públicas e privadas, na redução do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre energia e na reformulação das diretrizes para aquisição de alimentos oriundos da agricultura familiar. No campo social, defende a informatização da saúde, apoio ao diagnóstico na atenção primária à saúde e à criação de parcerias com a saúde privada para a ampliação de leitos em hospitais. No que tange recursos hídricos, pretende: conceder ao setor privado as atividades de tratamento, distribuição de água e saneamento, permanecendo a gestão da água bruta, como as barragens e adutoras de captação; implantar 100 mil cisternas em quatro anos; construção das barragens de Gatos, Panelas, Igarapeba, Barra de Guabiraba e São Bento do Una; e construção de barragens na Mata Norte do estado para contenção de cheias e irrigação da produção.

Agora, os candidatos deverão concentrar-se no reforço às suas campanhas eleitorais, com foco na ampliação de intenções de voto nas pesquisas.

Artigo elaborado pela equipe da Umbelino Lôbo Assessoria e Consultoria em 22/08/2022.

compartilhar

Ir para o conteúdo