Cenário Geral – Estados – 2º Turno

Em 30/10/2022, 12 estados elegeram governadores em 2º turno. Mantendo a tendência observada no 1º turno, as candidaturas à reeleição alcançaram elevado nível de sucesso.

A totalidade dos candidatos que buscavam ser reeleitos obtiveram sucesso nas disputas, totalizando 6 reeleições, as quais, somadas às 12 do 1º turno, alcançam um total de 18 governadores reeleitos. O nível de reeleição para o cargo de governador em 2022 superou e muito os números observados nas eleições de 2014 e 2018, respectivamente, 9 e 8.

Apenas 2 governadores que buscavam a reeleição não obtiveram sucesso, sendo derrotados ainda em 1º turno, casos de Carlos Moises (REP/SC) e Rodrigo Garcia (PSDB/SP), em estados cujos resultados acabaram por reproduzir a polarização observada em nível nacional e onde candidatos alinhados com o governo federal sagraram-se vitoriosos.

Em uma eleição marcada pela continuidade e baixa renovação no Congresso Nacional e governos estaduais, o insucesso do Presidente Jair Bolsonaro (PL) na busca da reeleição destoou.

O PSDB que vinha em movimento de baixa, igualou o rendimento observado nas eleições de 2018, vencendo 3 difíceis disputas de 2º turno em MS, PE e RS, mas ainda longe do rendimento de 2014, quando o partido elegeu 5 governadores. No MS e no RS, em disputa com candidatos apoiados explicitamente pelo Presidente Bolsonaro, Eduardo Riedel e Eduardo Leite saíram vitoriosos, contando com a migração dos votos de esquerda.

O PT, por seu turno, que figurava em 4 disputas de 2º turno, acumulou 3 derrotas, mas manteve a hegemonia na Bahia, em disputa acirrada entre Jerônimo (PT) e ACM Neto (UB). O partido do Presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, elegeu um total de 4 governadores, concentrados em estados do Nordeste, reproduzindo a vitória de Lula na região. Em São Paulo, Fernando Haddad, foi derrotado por Tarcísio de Freitas (REP), em disputa que reproduziu proporcionalmente a votação dos candidatos à presidência no estado. O PT igualou o rendimento observado na eleição de 2018. Em 2014, o PT elegeu 5 governadores.

O PSB, partido do Vice-Presidente eleito Geraldo Alckmin, elegeu um total de 3 governadores, todos reeleitos, tendo obtido sucesso nas 2 disputas de 2º turno das quais participou, na PB e no ES.

Já o PL, partido do atual Presidente da República, apesar de ter sido derrotado em 3 disputas de 2º turno, com a vitória do atual Senador Jorginho Melo, em SC, elegeu um total 2 governadores, em linha com a tendência de crescimento do partido observada nas disputas por cargos no Legislativo. Em 2014 e 2018, o partido não elegeu governadores.

O quadro final, considerada a coligação que elegeu Lula, apresenta significativos desafios de composição e governabilidade para o governo eleito, em linha com os cenários no âmbito da Câmara dos Deputados e Senado Federal. Dos 27 governadores eleitos em 2022, 8 são de partidos da coligação vitoriosa na disputa nacional, com significativa concentração na região Nordeste, aos quais podem ser somados 2 governadores do MDB, totalizando 10 governadores com alinhamento imediato.

Partidos da coligação derrotada, por seu turno, elegeram 6 governadores, que somados aos outros 8 governadores eleitos alinhados ao Presidente Bolsonaro, totalizam 14 governadores que podem fazer oposição ao governo eleito. Dentre eles os governadores dos principais colégios eleitorais do país, SP, RJ e MG.

Nesse cenário, a sinalização de disposição ao diálogo e a estratégia de buscar imediatamente uma negociação direta com os governadores anunciadas por Lula, serão essenciais para a construção de um cenário de maior governabilidade e alinhamento para negociação com o Congresso Nacional.

Elaborado pela equipe da Umbelino Lôbo em 31/10/2022.

compartilhar

Ir para o conteúdo